Telefone Contato (82) 3522-1622

|

Email Contato contato@hnsbc.com.br

Media de permanência de pacientes da Covid-19 é de menos de cinco dias

Cinco dias. Esse é o tempo médio que um paciente permanece internado na enfermaria do Hospital Regional Nossa Senhora do Bom Conselho, em Arapiraca, vítima da Covid-19. Os dados são referentes aos mais de dois meses de implantação do tratamento ao coronavírus na unidade. Só neste mês de julho, a taxa de permanência na enfermaria […]

28 de julho de 2020

Media de permanência de pacientes da Covid-19 é de menos de cinco dias

Cinco dias. Esse é o tempo médio que um paciente permanece internado na enfermaria do Hospital Regional Nossa Senhora do Bom Conselho, em Arapiraca, vítima da Covid-19. Os dados são referentes aos mais de dois meses de implantação do tratamento ao coronavírus na unidade.

Só neste mês de julho, a taxa de permanência na enfermaria diminuiu para uma média de 3,8 dias. Em maio, o número estava em 6,3 e em junho em 4,8 dias. Já a taxa de ocupação segue próxima de 80% para todo setor.

Ainda de acordo com o levantamento feito até 20 de julho, durante os 65 dias do serviço o Hospital Regional registrou 234 internações, sendo que 124 pessoas receberam alta e apenas cinco pessoas precisaram ser transferidas para outros locais.

Os dados também revelaram uma queda em relação aos números de mortos se comparado os meses julho (até o dia 20) e junho. São 20 este mês, enquanto no período anterior foram 44. Ao todo a instituição notificou 91 óbitos.

O provedor do Hospital Regional, Magela Pirauá, contou que a diminuição no número de falecimentos e a na quantidade de dias internados mostra a importância do tratamento precoce por parte da equipe de saúde do hospital.

“São números relevantes. Estamos numa guerra contra um inimigo invisível e imprevisível. Por isso cada alta, cada paciente que deixa o hospital para ficar com sua família é uma alegria imensa pra todos nós”, colocou.

O diretor médico Ulisses Pereira também parabenizou os profissionais que trabalham no setor. “Sabemos que não é fácil. Apesar de uma serie de equipamentos de proteção e segurança, existe o medo de pegar o vírus. Mas esses guerreiros passam por cima disso e lutam diariamente para salvar vidas”, falou.